quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Qual o problema em “ficar”?

Não é difícil escutar em conversas entre os jovens, comentários sobre com quem “ficaram” ou com quem estão “ficando”. O “ficar” é um termo atual não no sentido original, mas representando um relacionamento breve, passageiro, descompromissado e imediatista entre os jovens. “Essa moda começou nos anos 90 em nosso próprio país, antes o beijo e o carinho só acontecia quando o casal estava namorando ou dentro de um contexto de compromisso sentimental, diferente do que muitos pensam, não são todos os países que aderiram esse costume de beijar sem se envolver” afirma o psicoterapeuta Flávio Gikovate.
A questão do “ficar” também é assunto nas igrejas brasileiras, muitos jovens evangélicos acreditam que “ficar” é o primeiro passo para conhecer uma pessoa ou para começar um relacionamento, outros acreditam que não faz diferença em “ficar” ou “não ficar”. Já maioria dos pastores do cenário brasileiro descordam das “justificativas” dos jovens que beijam sem antes ter um compromisso, a maioria das igrejas não vem problema do casal se beijar no namoro, mas não aprovam o “ficar” antes do relacionamento começar. Mas por que seria errado “ficar”? Qual o problema nisso?
Para responder essa questão vamos analisar de uma forma diferente, já ouvi explicações de que “ficar” é um ato sem compromisso e agir sem um propósito desagrada a Deus (Provérbios 19:21), também já aprendi que é um grave erro querer conhecer alguém através do “ficar”, pois isso demonstra que nosso foco inicial não é conhecer a outra pessoa, tentar um relacionamento com alguém que você não conhece bem e sem direção de Deus é chamado de “vontade da carne” pela bíblia, ação que desagrada a Deus (Romanos 13:14). Também ouvi um pastor declarar a seguinte frase: “Não se preocupe em conhecer a pessoa pelo beijo, ensinar a pessoa beijar depois é fácil, difícil é ensinar uma pessoa a ser fiel a Deus e a você”. Acredito que essas justificativas são muito válidas, mas podemos analisar essa questão de uma forma diferente, tente imaginar como Jesus trataria esse tema, será que Jesus se importaria se estou “ficando” ou não?
O tema “ficar” em si não era algo da época de Jesus, mas o objetivo do evangelho nunca foi dizer se isso ou aquilo é errado, e sim transformar o coração das pessoas, o objetivo de Jesus não era proibir as pessoas de fazer algo e obriga-las a fazer outra coisa. Em 1 Corintios 6:12 está escrito: “tudo me é permitido, mas nem tudo me convém, tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine”, você é livre pra fazer o que quiser, mas conforme o evangelho vai entrando em nosso coração percebemos o que convém e o que não convém fazer, percebemos o que agrada o Espirito de Deus e o que não agrada. Alguns podem descordar de mim, mas se Jesus estivesse em carne hoje não proibiria ninguém de ficar, imagino Jesus ensinando o evangelho do reino,  se relacionando conosco a ponto de percebemos quão besta e insignificante é o “ficar”, ou fazer qualquer outra coisa sem a direção de Deus e propósito. Se você ainda tem dúvida de qual o problema em ficar, a resposta é simples, tudo depende de quanto o evangelho está em você, tudo depende de até que ponto você está se relacionando com Deus. Temos que concordar em uma coisa, pense comigo, nós queremos experimentar a Deus sem compromisso e acabamos fazendo o mesmo nos relacionamentos com pessoas, se não conseguimos ter o compromisso com Deus em oração, em entrega e em amor, o que dizer sobre o “ficar”?
Bom é saber que Jesus continua atuando hoje, querendo transformar nosso coração, querendo nos levar até a sua vontade como está escrito em Romanos 12:2 “Não vos conformeis com este mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, assim conheceram a vontade de Deus, que é boa, perfeita e agradável”. Que Deus nos ajude e busquemos ao Senhor até seu evangelho nos desprender de nós mesmos. Amém!
gospelmais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...