sábado, 1 de março de 2014

Uma breve opinião sobre a tensão existente entre a esquerda, a igreja e a direita

Olá caros (as) leitores (as), esse é o meu terceiro texto de opinião e gostaria de falar sobre a tensão que existe entre as ideologias políticas de esquerda e direita e suas influências na igreja evangélica presente na pós-modernidade.
É importante contextualizarmos esses conceitos.
Entendo como esquerda e como direita ideologias que dogmatizam os engendramentos entre trabalho, poder e os relacionamentos agenciados por eles.
Em um pensamento marxista (esquerda), o capital é sempre explorador, repressor, hegemônico, ostensivo e pretensioso. Por outro lado, este axioma, segundo sua ideologia, aplica-se em difundir a “ideia” de isonomia entre indivíduos da mesma sociedade, igualdade em todos os sentidos, principalmente as questões relacionadas a divisões de renda.
A ideologia esquerdista coloca em cheque todas as instituições, depositando no Estado, enquanto instituição, a responsabilidade por todos os infortúnios advindos ao povo, proletariado como diria Marx. As instituições enquanto promotoras da estrutura base dos aparatos do regime capitalista, são responsabilizadas, pela esquerda, de estabelecer as ideias de dominação, repressão e estereotipação às classes subalternas.
Produtos desta ideologia, os movimentos sociais como GLBTS, FEMEN, CUT, MST dentre outros, defendem a hipótese de que as instituições tradicionais são responsáveis pela manutenção do capitalismo conservador. Lê-se instituições tradicionais: a família, o casamento, o Estado Nação, igrejas/religiões, instituições bancarias, escolas, faculdades, hospitais e etc.
O esquerdismo influenciou a criação de regimes de governo como republicanismo, socialismo, comunismo, anarquismo e outros. Uma observação neste momento é perspicaz: nenhum desses regimes de governo de esquerda em toda a historia da humanidade se constituiu sem o pano de fundo de um intolerante e vulgar autoritarismo, estabelecidos geralmente por golpes de estado. Nunca um regime socialista ou comunista foi estabelecido democraticamente.
Um outro importante dado para esta reflexão é que a esquerda significa a religião como promotora do sofrimento passivo do povo, pois para esta ideologia a religião é capaz de cegar e alucinar os indivíduos, pois como Marx postula: “A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração e a alma de condições desalmadas. É o ópio do povo.” O estabelecimento do marxismo- leninista na União Soviética em 1917 operou uma das maiores cruzadas já vistas neste mundo em prol do ateísmo.
A história oficial impetra a esse sistema de governo milhares de mortes de cristãos em todo território da extinta URSS. É possível entender que os regimes ligados a esquerda foram responsáveis por genocídios inumeráveis durante toda a historia. Tese postulada por Olavo de Carvalho.
O que definitivamente me intriga em toda a  história dos regimes autoritários de esquerda é a capacidade de seus líderes, geralmente revolucionários, acionários e populistas de acederem ao poder, subjulgarem o povo ao regime e viverem na mais alta hipocrisia capitalista. Um excelente exemplo desta antagonia é o líder da Coreia do Norte, pais socialista sobe regime militar autoritário. O nobre Sr. Kim Jong-un fez uma visitinha ao Japão para um cineminha, comer um McDonald’s e “brincar” nos parques da Disney japonesa. Fonte: Jornal O Globo.
A cúpula do poder da URSS de Lênin acusada do mais alto nível de corrupção, estabeleceu um padrão fétido de regime marxista, enquanto o povo padecia por um regime totalitário e oligárquico o governo não se privava em desfrutar do luxo dos czares e de todo seu império.
E acontece exatamente a mesma coisa em Cuba, o povo padece as privações de um regime patológico que os subjulga ao mais alto nível de humilhação e necessidades, expondo o país às ruínas, enquanto seus lideres desfrutam de suntuosos luxos. Prova irrefutável desta doença é o recente caso da médica cubana que deixou o programa, eleitoreiro, Mais Médicos, por uma simples questão, o governo brasileiro repassa à Cuba aproximadamente 10 mil reais e Cuba transfere à médica um valor de 400 dólares. O medo de ser morta pelo seu regime é tamanho que a senhora Ramona Matos Rodriguez solicitou anistia no gabinete do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO).
Não é irônico? A médica vem de um regime socialista e se anistia no gabinete de um deputado de direita? (Risos incontrolados…) Desculpem, vou me recompor!
Por outro lado, a ideologia de direita não transfere a culpa por todas as desgraças das sociedades às instituições. O axioma pertinente a este caso denota ao ser, ao individuo, ou seja, a individualidade do ser os seus enfrentamentos, apontando para o homem como responsável pelas consequências de suas escolhas.
A direita outorga a ideia de que “se” as patologias sociais se estabelecem enquanto tensão na relação entre trabalho e poder, capital e indivíduos, a individualidade do ser é incriminada pelos ideologismos que a orbita, e que por sinal é este ser que edifica toda e qualquer instituição. Está aqui posto o direito, não para a condenação da instituição, mas para regulação, disciplina, julgamento e condenação do ser.
Entretanto a força da patologia de esquerda é repulsivamente sólida, pois esta ideologia conseguiu ao logo dos anos institucionalizar o ser, e na tentativa de fundamentar um terreno propicio ao socialismo transmutou a individualidade da identidade do ser em distintas identidades, pessoa física e pessoa jurídica. Não me compete aqui discorrer sobre esses desdobramentos, mas em uma próxima reflexão.
Entretanto, o capitalismo como definem Deleuze e Guattari, é esquizofrênico, sempre se alterando em perpetua tentativa de adaptação, este movimento é a base da economia capitalista que se estabelece ao meu ver sobre três princípios fundamentais: a democracia, o livre comércio e o lucro.
Por outro lado, existe nos movimentos sociais de esquerda uma psicopatologia histérica, a intrínseca mania de perseguição, tendência à atividade defensiva contra as representações suscetíveis provocados por afetos contrários. Ou seja, nenhum ativista de esquerda suporta a ideia democrática de antagonias. Exatamente por isso que a militância gay dispara acusações absurdas de que qualquer cidadão que não concorde com sua conduta homossexual é homofóbico. Está posto aqui um dos motivos pelos quais os regimes de esquerda são fundamentados pelo autoritarismo.
Essas tensões entre direita e esquerda estão engendradas no seio da igreja cristã evangélica na pós-modernidade e estão, em suas peculiaridades, estabelecendo padrões de governo, padrões comportamentais e de relacionamento que nem sempre estão fundamentados nos valores do Evangelho do Reino de Jesus Cristo.
A ideologia doente de esquerda adentra à igreja cristã evangélica da pós-modernidade camuflada sob o discurso de uma nova reforma, pois a esquerda como já dito, impetra às instituições a responsabilidade pelas mazelas advindas ao povo, outros movimentos como Igreja orgânica, os sem igreja, em fim, toda sorte de visões assassinas da instituição são de ascendência do esquerdismo do parlamento Francês do século XVIII.
Por outro lado, a direita, enquanto ideologia, adentra à igreja, transformando nossos pastores em empresários, nosso povo em moeda de troca e nosso Deus, o Eterno, em produto.
A esquerda representa a patológica insanidade de mentes perversas que tentam a todo custo destruir a igreja. A direita tem transformado a igreja – nem todas, ainda creio no evangelho simples e puro de Jesus Cristo –  em comércio, e agora?
Me posiciono no evangelho de Mateus no capitulo 5, o evangelho que apresenta Jesus como Rei, a leitura que faço dos textos expressos neste livro referenciam o Reino milenar de Jesus, seu Reinado, suas leis e seus súditos. Entendo que entrarão neste Reino aqueles cristãos que vencerem, venceram o pecado, a carne e o mundo.
O sermão da montanha, por sua vez, foi pronunciado para as pessoas que entrarão neste reino, ou seja, nem esquerdistas nem direitistas. E a lei deste Reino e seu sistema de governo é claro. Se derem um tapa em uma face do seu rosto, ofereça-lhe a outra, se te pedirem para caminhar uma légua, caminhe duas, se te pedirem a túnica, entregue também a capa…
Jesus ensinou aos discípulos como é o sistema de governo em seu reino, o Senhor não estava falando às multidões, Ele estava ensinando os apóstolos, os vencedores, aqueles que venceram a direita, e esquerda (doente, diga-se de passagem) o mundo, o pecado e a carne.
Concluo este texto, deixando claro que a igreja na pós-modernidade é afligida por essas duas ideologias que castigam nosso pastores, tentam destruir a Igreja de Cristo e machucam nosso povo. E que temos uma responsabilidade em Deus, que não é lutar contra a igreja, mas construir o caráter de Cristo em nossas vidas, para que salguemos a terra e resplandeçamos a Glória deste Reino que está por vir.

Danilo Bertoloto

Mestre em Estudos de Cultura Contemporânea pela UFMT, publicitário, professor universitário, é líder de adolescentes, idealizador do Congresso Metanóia.
gospelprime

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...