quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Pragas do Egito rendem recorde a “Os Dez Mandamentos”

Pragas do Egito rendem recorde a “Os Dez Mandamentos”A novela Os Dez Mandamentos marcou mais um recorde de audiência nesta segunda-feira (31) quando a trama exibiu a primeira das dez pragas do Egito. 

A audiência da novela registrou 19 pontos na Grande São Paulo com pico de 21, enquanto que no Rio de Janeiro os números foram de 20 pontos com pico de 22 pontos entre as 20h29 e 21h51 segundo dados da Veja. 

O capítulo de sucesso mostrou Moisés (Guilherme Winter) e Arão (Petrônio Gontijo) pedindo a liberdade dos hebreus para o rei Ramsés (Sergio Marone) que se nega a libertá-los. Como o rei não aceitou o pedido, Moisés pede para que Arão toque nas águas do rio Nilo para que elas se convertam em sangue. A rainha Nefertari (Camila Rodrigues) se banhava no rio quando as águas se transformaram em sangue e a deixaram desesperada. 

A cena dramática fez com que muitos telespectadores achassem graça, pois a rainha gritou muito com a situação diante de suas criadas. A transformação da água em sangue é a primeira das dez pragas enviadas ao Egito, na próxima semana a novela deve mostrar a invasão de rãs.

gospelprime

Luteranos se desculpam com católicos por atos da Reforma

Luteranos se desculpam com católicos por atos da ReformaA Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) possui uma postura de ecumenismo e tem se aproximado do Vaticano nos últimos anos. Em um “diálogo teológico” convocado em agosto e realizado na Academia de Missão da Universidade de Hamburgo, pediram desculpas aos católicos e ortodoxos por certos atos cometidos por luteranos durante a Reforma Protestante.
Perto de completar 500 anos (em 2017), os luteranos estão lamentando a destruição de imagens religiosas. Os teólogos da EKD deixaram isso claro na declaração da bispa para as relações ecumênicas Petra Bosse-Huber. Ela chefia a Comissão de Diálogo protestante.
Em nota, afirma que hoje se reconhece que as imagens sagradas, em suas mais variadas formas têm muito valor como expressão da espiritualidade. Diz ainda que a igreja protestante alemã “se opõe à destruição de imagens”.
Durante o período da Reforma, na tentativa de livrar as pessoas da idolatria, líderes protestantes removeram pinturas, esculturas e vitrais na Alemanha, na Suíça, na Inglaterra e na Holanda. Em muitos casos as imagens eram queimadas publicamente.
As delegações do Patriarcado Ecumênico, da Igreja Ortodoxa, estiveram no encontro na Academia de Missão a convite do Conselho da EKD. Desde 1969, representantes de ortodoxos e protestantes têm mantido relações próximas.
Embora não tenha se manifestado publicamente sobre o assunto, o Vaticano também dá mostras de sua disposição em se aproximar dos luteranos.
Em breve, Roma terá uma praça com o nome de Martinho Lutero, perto do Coliseu. Há cinco séculos, quando Lutero tentou fazer com que a Igreja Católica mudasse suas práticas, foi excomungado pelo papa. Durante séculos ocorreram embates violentos e mortes por causa da Reforma iniciada por Lutero.
Por isso, causa estranheza que o Vaticano apoie que a praça receba o nome do reformador. O Papa Francisco desde que começou seu pontificado, mostrou o desejo de ver uma maior unidade entre todos os cristãos
Com informações de Urban Christian News e Christian Headlines

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Teto de igreja desaba durante culto e deixa feridos

Na noite do último sábado (29) o teto da Igreja Deus é Amor em Gurupi, estado de Tocantins, desabou durante o culto, deixando várias pessoas feridas. “As informações são de que o teto começou a desabar. As pessoas que estavam lá dentro saíram e algumas ficaram debaixo dos escombros e foi necessário o Corpo de Bombeiros para fazer o resgate destas pessoas”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros da cidade, Tiago Franco Segundo ele, três fiéis precisaram ser levados para o Hospital Regional do município e outras pessoas se feriram. 

Teto de igreja desaba durante culto e deixa feridos“Retiramos duas pessoas debaixo dos escombros, uma com gravidade um pouco maior, outra com pequenas lesões. A terceira já estava do lado de fora”, afirmou ele ao G1. O culto acontecia com 35 pessoas quando por volta das 19h50 o teto desabou. Não é possível dizer o que ocasionou o acidente e o local será periciado para poder indicar as causas. “A gente vai interditar o local por causa da precariedade da estrutura e vai notificar o responsável. 

O templo vai ficar interditado até a realização da perícia pela Polícia Civil. Posteriormente, será feita a recuperação do local. O templo só vai ser liberado para uso após feita a reforma e a vistoria pelo Corpo de Bombeiros”, explicou o comandante.

gospelprime

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Por que o mundo precisa da fé cristã?


No filme “Superman: o retorno”, a jornalista do Planeta Diário, Lois Lane, provocou os leitores céticos do seu tempo com uma pergunta ressentida: “Por que o mundo não precisa do Superman?” Por trás desta indagação, existia um contexto existencial em que esta questão se tornava justificável. A fragilização da vida humana, que se traduzia na forma de um “senso de desamparo ontológico”,1 era, por assim dizer, uma commodity (social) que estava em alta. Como efeito colateral relacionado, avançava também a “dessensibilização coletiva” ao problema do sofrimento alheio (“cada um por si”). A causa de tudo isso parecia estar associada à ausência do Superman do Planeta Terra, por ocasião de sua viagem a Krypton. Entendia-se, naquela conjuntura, que o salvador havia abandonado o ser humano. 

O momento era de um “pessimismo cosmológico”. A “incerteza ontológica” (Zygmunt Bauman) se tornara parte da “estrutura psíquico-funcional” da vida cotidiana dos cidadãos daquele contexto, e a vulnerabilidade (existencial) se transformara em uma espécie de componente fundacional de definição identitária da consciência coletiva. A pergunta de Lois Lane, portanto, sugere a preconização de um dilema ontossocial em seu substrato conjuntural: a liberdade (símbolo cultural mais emblemático da América), sem segurança, coloca em xeque o vicejar da esperança de um novo horizonte (psicológico) para os indivíduos. Ansiedade do não-destino (incerteza existencial) aumenta o capital do medo, o que pode redundar na “depressão coletiva” de uma geração, uma espécie de efeito cascata.

A destranscendentalização da esperança parece ser uma variável psíquica que indica a supressão ontológica do seu fundamento histórico-existencial: o Superman não estava mais à disposição de todos; ele não compartilhava mais do sofrimento humano (crenças matriciais). Agora, só restou a sua ausência. O mundo sem ele, contudo, se tornaria mais insalubre, haja vista que o “medo derivado” alteraria a percepção da vida em sociedade, tornando os indivíduos mais propensos a viverem desconfiados de tudo e de todos. Uma organização social que assume essas características acaba sendo compreendida como uma sociedade com forte “traço esquizofrênico”. A incapacidade de reconhecer e discernir o mundo que se vislumbra, revela, pois, uma configuração social de existência na qual se manifesta uma modalidade psíquica de “dementização” das consciências individuais.2 O medo socialmente compartilhado, em dimensões descomunais, obstrui a lucidez cognitiva da percepção antropológica de realidade-mundo. 

Sem o mínimo necessário de “capital esperante”, estruturado na psicologia da coletividade, as confianças interindividuais se precarizam, e o “outro” passa a ser entendido como um “demônio” (Jean-Paul Sartre), uma projeção alucinógena do significado que ao “tu” se atribui no processo de interação nessas condições. Com a ausência daquilo que sustenta a ontologia da confiança, pessoas de bem podem ser facilmente confundidas com demônios.

ultimato

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Lenilton proíbe a banda Novo Som de executar suas músicas

Nesta quarta-feira (26/08), em sua página pessoal no Facebook, o baixista e compositor da maioria das músicas da banda gospel Novo Som, Lenilton Silva, publicou uma nota com o intuito de esclarecer as polêmicas que até hoje envolvem sua saída da banda.

Lenilton, ao lado de Alex Gonzaga, criou em 1982, o grupo Novo Som, um dos mais populares da música evangélica, com o qual lançou 11 discos. "Um Dia a Mais" foi o derradeiro álbum de Lenilton como integrante da banda Novo Som, lançado em 2002.

Em 2013, com o lançamento da coletânea "Novo Som para Sempre", em 3 (três) volumes pela gravadora Mess Entretenimento, Lenilton é convidado para fazer uma participação especial na gravação do DVD em comemoração aos 25 anos de carreira da banda.

Na nota, o músico falou sobre os atritos que ele sofreu por parte de alguns membros do grupo e também sobre sua decisão de extinguir toda e qualquer parceria musical sua com o Novo Som, inclusive, proibindo a banda de executar suas composições.

Confira abaixo a íntegra da nota:

NOTA OFICIAL

Antes de anunciar o fim da minha parceria definitiva com o Novo Som, quero dizer que não é minha intenção trazer esse fato à público pra que tomem partido de A ou de B, mas apenas por respeito aos fãs. Aqueles que tiveram oportunidade de estar comigo pessoalmente me conhecem um pouco e sabem do que estou falando. Não é justo manter em vocês a interrogação em troca do amor e do apreço que recebemos ao longo da nossa carreira. Penso que se tenho dificuldade pra exercitar o evangelho, que pelo menos exercite a honra e a integridade e o respeito por aqueles que nos ajudaram a trilhar essa estrada na música cristã brasileira, chamados fãs, intercessores e admiradores do nosso trabalho. Não tenho a pretensão de que todos tenham uma capacidade profunda de discernir as palavras que serão ditas, mas ainda assim as direi e doa em quem doer. 
Fiquem à vontade pra comentar, peço apenas que se lembrem que o respeito e o amor deve permear o ponto de vista de cada um. Informo também que a minha decisão está tomada e é definitiva. A bíblia diz que de Deus não se zomba e eu não quero zombar de Deus usando de mentiras pra manipular ninguém. Faço um voto aqui diante de cada um de vocês e de Deus que só será dito aqui a verdade, nada além da verdade. 
Pra começar, que tal conhecer resumidamente um pouco da minha história? Perdi meu pai com dois pra três anos de idade e um irmãozinho ainda bebê de colo. Por conta disso eu com apenas 8 anos de idade, eu e meu irmão Laércio fomos parar no colégio interno e minha irmã foi trabalhar ainda muito novinha em casa de família. Uma das minhas professoras estava na gravação do dvd 25 anos Prof. Lila e um dos meus instrutores de Artes gráficas também Sr. João Batista Machado Junior. (fiquem á vontade pra conversar com eles se assim desejarem, estão aqui no meu face). Ah, tenho aqui no meu face o meu chefe de disciplina também o Sr. Marino e vários amigos do colégio internos. Depois de passar por várias instituições, fui pra Escola Rodolfo Fuchs em Sacra Família do Tinguá(vide foto), onde aos 12 anos ingressei na banda de música (vide foto) e aí tudo começou na minha vida musicalmente falando. Posteriormente ajudei a formar o conjunto de baile da escola. Após sair do colégio interno em 1981, fui servir nas fileiras da Força Aérea Brasileira(vide foto de formatura), na Base Aérea de Sta Cruz, no RJ onde ingressei na banda de música(vide foto). 

Me converti em 1982 na Igreja Batista em Padre Miguel - RJ, onde conheci o Alex e juntos começamos despretensiosamente o que vocês hoje conhecem como Novo Som (vide fotos). Nós éramos jovens, eu tinha apenas 20 anos e ele 17. Eu era Soldado músico da Aeronáutica e posteriormente cabo(vide foto) e ele pós adolescente. Não tínhamos nada, a não ser o desejo de fazer um bom trabalho musical na igreja. A bíblia nos ensina em Rm 13:7-8 a dar a cada um o que é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra. Não devam nada a ninguém a não ser o amor... Por isso preciso honrar A Dona Delma Gonzaga (mãe do Alex), a quem eu amo muito, sou muito grato e tenho um profundo respeito, que foi incansável e de grande importância na formação da banda, inclusive financeiramente, e o pr. Eronildes que nos apoiou muito na igreja. Convidamos alguns amigos da própria igreja e assim formamos o embrião do que vocês hoje conhecem como Novo Som. Naquela época não existia essa fartura de bons músicos na igreja, baterista então nem se fala, por isso eu tinha uma noção de bateria e o Alex de violão, por isso deixei o baixo e fui tocar bateria e o Alex baixo e cantava (vide foto). 

Resultado de imagem para Lenilton Silva Novo somO Novo Som passou por várias transformações, muitos entraram e muitos saíram, confiram nos boletins de aniversários da banda cujas capas foram feitas por mim e confiram os nomes dos integrantes. 
Mas Eu e o Alex nunca desistimos, sempre correndo atrás de músicos. Eu examinava os caras e os aprovava ou não musicalmente falando. E assim até chegar no Mito e no Geraldo. O Mito foi indicado pelo primo dele que na época era baterista do Novo Som (Rubens), nem teclado tinha , quem comprou e foi buscar o primeiro teclado "profissional" dele fui eu e o Alex (um Korg Polly 800), cujo som mostrei a ele por telefone. 

O Geraldo foi indicado por um amigo meu do quartel. Eu e o Alex fomos na casa dele convida-lo pra tocar na banda. Ele era de menor e a gente quase sempre tinha que leva-lo e trazê-lo de volta pra casa após as apresentações. Todos eles, exceto o Alex, abandonaram o barco no meio do caminho e eu os aceitei de volta com todos os direitos iguais aos meus, tanto administrativo como financeiros(coisa que o Alex não queria). Se dependesse do Alex o Geraldo não estaria na banda hoje, não teria voltado. Se vocês observarem as capas dos discos vão ver que o Mito participou do primeiro disco "Um Novo Som Para Cristo", cuja capa foi desenhada por mim à mão livre (vide foto). Disco esse que não teve grande expressão. O Mito só voltou quando a banda já estava estourada com os discos "Pra Você, Passaporte e Luz", pra participar do primeiro disco ao vivo do Novo Som na casa de Show Rio Sampa no RJ. Teve disco da banda que eu gravei praticamente sozinho, já gravei até bateria. Quem tem os trabalhos originais podem conferir tudo isso que estou dizendo. Um dia esses mesmos caras, que eu convidei pra fazer parte da minha banda e os aceitei de volta quando "abandonaram o barco", se juntaram contra mim pra me tirar aquilo que eu criei e dividi com eles. 

A frase que traduz o motivo da minha saída à 13 anos atrás, me foi dita numa reunião num quarto de hotel, frase essa, que diante de Deus, eu desafio qualquer um deles a repetirem na íntegra pra vocês, Já que "o culpado da minha saída fui eu"... Não tenho medo do debate e nem do embate olho no olho. Não mesmo! Até hoje essa "frase" ecoa em minha cabeça. Mas se eles não dizem, eu também não direi porque eles sabem do que estou falando e Deus também. Não adianta me "fulminar", criar fakes, e mandar parentes me hostilizar na net (como já fizeram) por estar dizendo isso, não tenho medo! Ao invés disso deviam por a mão na consciência e diante de Deus sermos transparentes. Os fatos falam por si só. Agora é mole minimizar as coisas com frases feitas como: " Casamento que não deu certo". Se quiserem debater o assunto ao vivo comigo na mídia estou aí, é só marcar! E falando agora do projeto 25 anos, diferente do que parece nos discursos feitos pelo Alex, eles nunca desejaram a minha volta. Só queriam usar mais uma vez a mim e o que é meu. Nunca me convidaram e muito menos ao Natinho pra gravar o dvd todo. O que aconteceu foi o seguinte: Nos bastidores e durante toda a negociação do DVD 25 Anos, houve muito estresse, tenho tudo documentado, se necessário for vou postar. 

Fato é que alguns têm dificuldades de me engolir na banda a ponto de um deles dizer pra mim "aqui existe uma hierarquia" apenas porque eu estava trabalhando e querendo o melhor pro dvd, e quando eu perguntei que hierarquia seria essa, ele se calou. Teve um que debochou de mim quando eu disse que a maioria dos fãs queriam a minha volta; Ele disse que os fãs que desejavam isso eram uma meia dúzia de cinco. Não aceitam o fato de que a banda tem uma cara, e cuja cara quem deu foi Deus através das minhas composições, meus arranjos e o timbre do Alex. 

Negar isso é um tremendo auto engano. Não quero dizer com isso que sou melhor que eles. Muito pelo contrário, cada um tem o seu valor na banda. Citei que quando Arão e Hur colocaram uma pedra sob Moisés e seguraram os seus braços pra que a batalha do povo de Israel não fosse perdida, não quis dizer que Moisés era mais importante que os demais, mas afirmei que o chamado específico pra ficar com os braços estendidos era dele e não de Arão e Hur. 

Tem mais, se não fosse por Arão e Hur, Moisés não teria conseguido e o povo teria perecido. Você que lê a bíblia sabe do que estou falando. Mas zombaram mais uma vez. Teve um deles que depois de nove anos sem ligar pra mim, me ligou pra pedir música pro cd Estação de Luz e me disse o seguinte: "Negão, a gente está pra gravar o nosso novo cd, se você tiver alguma coisa manda "pra gente avaliar"... acho que se entendi bem, eles queriam ver se a música do cara que escreveu TODOS os grandes sucesso da banda servia pra eles, e pasmem vocês, ainda assim mandei duas boas músicas pra eles, a romântica (Na Beleza do Seu Olhar) e uma outra de nome "Sempre" (minha e do Val Martins), música essa que deixaram de fora, acho que porque devia ser pior do que a pior do disco deles. Depois vou grava-la com o Rota 33 e vocês tirem suas conclusões... 

Agora dizem que a banda está do jeito que está no mercado por causa da pirataria e porque estamos vivendo outros tempos, sempre tentando desmerecer o meu trabalho como nessa reportagem no site Universo Musical:

E, em termos musicais, como vocês avaliam o resultado de Vale A Pena Sonhar?

Mito: Musicalmente nosso CD está bem melhor do que os últimos. E um dos motivos a que eu atribuo isso é a entrada do novo baixista. O Lenilton era um ótimo compositor e um baixista razoável. O nosso baixista de hoje, Charles Martins, é diretor musical. O Lenilton era baixista do Novo Som, e não baixista profissional. O músico que mais rápido se adaptou ao som da banda foi o Charles, sem dúvida. Por causa disso nós pudemos ousar mais nos arranjos e mostrar mais versatilidade.

Foi um desafio para vocês gravar um disco sem o Lenilton?

Mito: Não foi um desafio gravar sem o Lenilton porque conhecemos nosso som há mais de 20 anos. Já estamos descolados e sabemos o que queremos. Perdemos letras e composições boas, mas já tínhamos um padrão e vamos continuar trabalhando normalmente. Vamos fazer o que sabemos sem deixar a peteca cair, e isso está visível e audível nesse trabalho. Essa declaração é bem interessante para quem ia lá em casa estudar música comigo. Quem quiser conferir essa entrevista na íntegra é só acessar o site Universo Musical.

Acho que quando alguém diz "éramos quatro e quando três estão de acordo e um não, dá pra saber quem está errado... ou isso é uma piada, ou falta de conhecimento bíblico ou querem manipular a opinião dos outros desavisados, porque a bíblia que eu conheço mostra o contrário, afinal de 12 espias quantos se negaram a obedecer a ordem de Deus pra entrar na terra prometida? Foi a minoria que optaram pela crucificação de Jesus e a soltura de Barrabás? Ficaria aqui citando milhares de passagens bíblicas jogando por terra esse dito popular equivocado de que "a voz do povo é a voz de Deus". Quando perguntei olho no olho o porquê desse comentário maldoso, ele disse: Foi "marketing!" Será?... Ele disse que o novo baixista era diretor musical, que era isso e aquilo outro. Que bom, parabéns pela capacidade dele, mas a intenção de elogiar o rapaz foi apenas pra tentar me desmerecer, mas ele só esqueceu de um detalhe: Todos, eu disse TODOS os discos do Novo Som que foram sucesso, o diretor musical sempre foi o "incompetente" do Lenilton, inclusive nos discos que ele estava fora. Quem quiser conferir pegue seus discos e confiram. 
Os fatos falam por si só. Acho ridículo ter que ficar tendo que falar disso aqui, só estou fazendo isso para que os desinformados saibam da realidade dos fatos antes de comentarem sobre o que não sabem. Se a banda está do jeito que está por causa que "os tempos mudaram", então eu queria entender porque os tempos não mudaram pra Fernanda Brum, pra Aline Barros e outros remanescentes daquela época, que inclusive abriam show pro Novo Som. 

Nessa negociação do dvd tentaram me subjugar e se desfazerem do meu trabalho a ponto de eu ter que me impor e dizer o seguinte: Não vou mais permitir que vocês façam pouco caso do meu trabalho! Que não soe como soberba, mas vou dizer algo que vocês não vão gostar de ouvir: "Gostem vocês ou não, o que ainda mantêm o NS respirando são as minhas músicas! Vocês comem, bebem e se vestem das minhas músicas" Isso é um fato! Aceitem vocês ou não! Isso não depende de vocês, foi Deus quem quis assim! Não sou o melhor compositor do mundo e nem o pior, mas isso é um fato e todos que conhecem a história da banda sabem disso, menos vocês. 

Tem coisas que a gente fala que tem gosto amargo na boca de quem diz e fere os ouvidos de quem ouve e essa é uma delas. Hoje, essa galera prefere se tornar uma banda intérprete por puro orgulho a ter as músicas do cara que conhece e criou toda estrutura melódica e harmônica da banda, ainda dizem que eu já dei o que tinha que dar, só se esquecem de uma coisas, quem recebe de Deus, recebe da fonte eterna, inesgotável, a não ser se isso não passa de comércio... 
Quando disse que o que move o Novo Som são minhas canções, alguém retrucou e disse que não era bem assim, que tinham músicas legalzinha nesses dois discos e eu respondi que nem ia entrar nesse mérito, porque em momento algum eu estava me desfazendo dos outros compositores, jamais faria isso, até porque isso é nojento, soberbo, antiético e anti cristão. Disse que já que eles pensam assim que poderiam ficar à vontade, deixar minhas músicas de fora e gravar o dvd com essas "músicas legalzinha". Agora, que a banda tem uma assinatura musical pertence a mim e ao timbre do Alex, isso tem! Isso não depende deles e nem de mim, quem fez assim foi Deus! Não estou me desfazendo dos outros, apenas sendo realista. Eu sempre compus minhas músicas e levava pro estúdio com o arranjo quase todo pronto, tudo escrito, inclusive os vocais. Tenho a maioria das partes originais guardadas comigo. Se alguém tem dúvida disso posso escancear e postar aqui, mas acho isso desnecessário. Acho que alguém tem dificuldades de aceitar isso. Mas isso não tem como mudar, é um fato! A proposta inicial deles era me usar. Queriam que eu tocasse apenas 2 ou 3 músicas de 15 músicas de minha autoria e fosse embora. Quando eu discordei, um deles retrucou rudemente: Você não é mais da banda! Rolou um estresse louco na reunião e a gente saiu de lá sem resolver nada. Cheguei em casa "cuspindo marimbondo" e estava disposto a não fazer mais nada, mas pensei na obra e nos fãs que nada tinham a ver com isso e fiz a minha contra proposta, mas enviei por e-mail só pro Alex (tenho esse e-mail comigo, se precisar vou postar também). Resumidamente o conteúdo do e-mail dizia o seguinte: Só libero minhas músicas pra esse dvd, se o mesmo for gravado com a "formação do Imperator" ( Eu, Mito, Alex, Geraldo, Natinho e Serginho) e se tiver uma música inédita de minha autoria. 


Fiz isso pensando nos fãs, porque duvido que esse não seja a o desejo de 90% dos fãs! Mesmo assim teve alguns que não quiseram aceitar o Serginho Knust nem por um decreto, alegando um motivo ridículo do dedo em riste que me nego a dizer aqui, que depois que comprovei a fragilidade do tal argumento mudaram "o discurso" para "o bom samaritano". A canção inédita ESPELHO só foi gravada por que foi umas de minhas exigências no pacote da negociação, mesmo assim teve má vontade de alguns pra grava-la. Aquele vocal do final da música(a brilhante estrela da manhã lhe enxugará dos olhos toda lágrima...) é só eu e o Alex. Teve gente que comentou sobre a música o seguinte: "Só gravei por desencargo", Aí quando sentiu a boa aceitação do povo disse o seguinte: a galera tá gostando porque está soando como "música antiga"... Resumindo: ESPELHO só está aí e a gente só gravou o dvd com essa formação porque foi uma exigência minha, porque eles não tinham alternativa, essa é a verdade. Mas que fique claro que eu disse pro Alex que eles não eram obrigados a aceitar a minha proposta, assim como eu também não era obrigado aceitar a deles. Por isso terminaram a gravação do DVD nem tchau me deram e já estava tudo planejado por detrás dos panos. Mudaram o layout do site e agora que a agenda bombou eles resolveram voltar com a formação "Oficial" e mais uma vez os fatos falam por si só. O engraçado é que o Alex diz que e-mail é frio, que não gosta disso, que prefere ligar... Confiram isso no You Tube no programa Conectados com Alex Gonzaga e Perla. Contraditoriamente me enviaram esse e-mail de surpresa, se quer me avisaram ou me ligaram, agora estão dizendo que estava tudo combinado, acreditem se quiser! Ah, acho que estavam certos: ESTAVA COMBINADO ENTRE ELES. 

Podia até "estar combinado" mas porque então não me chamaram pra conversar assim como fizeram quando foi do interesse deles? Eu não teria aceitado do mesmo jeito e vocês também não, eu tenho certeza, mas mandar um e-mail com aquele papo vaselina como sempre, e pior, usando o nome de Deus em vão, pra própria conveniência... Deus já não está nisso ha muito tempo!!! Tenho um contrato assinado com a gravadora Mess e vou honra-lo porque sou um homem de palavra, mas fora isso, diante de tudo o que aconteceu, eu penso que o mínimo que uma pessoa tem que ter é dignidade e honra, por isso estou retirando a vírgula e colocando um ponto final nessa história. Lamento muito pelos fãs da banda, mas aqui se encerra irrevogavelmente a Era Novo Som na minha carreira. 

Não quero mais, fica o legado. Se eu não sirvo pra banda, as minhas músicas também não servem! Isso seria uma afronta a minha família que estão sofrendo pela segunda vez por conta disso. Para aqueles que não sabem, os direitos sobre as minhas canções pertencem à minha família até a terceira geração. Portanto vou fazer o que já deveria ter feito a 13 anos atrás. Nesse momento faço saber a todos, inclusive os senhores CONTRATANTES, que ESTOU PROIBINDO PUBLICAMENTE O NOVO SOM DE EXECUTAR MINHAS CANÇÕES, e estou extinguindo toda e qualquer parceria musical com eles, inclusive retirando minhas letras de todas as canções em parceria com o sr. Edimilson Pascoal da Mota(Mito). Já os notifiquei e vou voltar a notifica-los sobre isso e espero que atendam e respeitem o direito da minha família e o meu desejo como autor perante a lei 9610/98. Não era o que eu queria, mas o que eles procuraram, então que seja! Se querem se livrar de mim então eu concordo e vou ajuda-los, inclusive livrando-os de qualquer coisa que me pertença, e isso inclui minhas canções! Quero agradecer a todos os meus fãs oriundos ou não do trabalho do Novo Som, pelo carinho e apreço que dispensaram a mim ao longo de todos esses anos e dizer que minha relação com vocês não termina aqui, até porque tenho outros planos pras minhas músicas e vários projetos musicais pra fazer. Espero que não me abandonem. 

Amo vocês!! Não tenho palavra pra agradecer a vocês por tudo o que fizeram por minha carreira. Eu não teria chegado até aqui se não fosse por Deus em primeiro lugar e depois por vocês. 

Sou o poeta que vocês gravaram na retina dos olhos de seus corações, por isso sinto pulsar o amor através do brilho nos olhos de cada um quando num grande coral cantam minhas canções... 

Amo de verdade a cada um de vocês. Deus lhes abençoe! Paz!

"As cores do perdão não se fixam na paleta do coração daqueles que cultuam o ego, que sorvem e destilam amargura. Por isso o quadro de suas vidas é sempre cor de cinza".

Lenilton SIlva



Fonte: Página Pessoal de Lenilton Silva no Facebook e Wikipédia

Receba no seu e-mail informações de Presentia