sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Fátima está nos braços do Pai


Faleceu na noite da última quinta-feira, 26, próximo às 22 horas, a cantora evangélica Maria de Fátima Angellotte, conhecida no meio cristão como FÁTIMA ANGELLOTT.

Fátima é natural de Recife, mas morava entre Paulista e Caruaru. Congregava na Igreja Assembléia de Deus Ministério Belém. Era casada com o irmão Alberto e teve como filhos Charles, Maria José e Cheybson.

Lembrada por todos que a conhecia como dedicada serva de Deus, Fátima espalhou amigos e admiradores por onde passava louvando o nome de Jesus. Em cidades como Santa Cruz do Capibaribe e Brejo da Madre de Deus. Ela veio para Caruaru através do irmão Adauto Telles (que apresenta o programa Sabadão de Louvor na Nova FM), que após ter conhecido ela em uma igreja a convidou para passar uma temporada em Caruaru, ficou hospedada em sua casa, foi levada a se apresentar em várias igrejas. Ambos firmaram uma amizade e parceria, e depois ela fez sua própria caminhada. Deixou no seu ministério da música 3 CDs gravados.

A enfermidade surgiu a onze meses, o medico só havia dado um mês de vida, mas sempre foi uma mulher muito determinada, de Círculo de Oração e o Senhor a preservou até onde Ele havia determinado, e esse tempo chegou após ter feito uma cirurgia, estava internada no IMIP em Recife..

Seu corpo foi velado na IGREJA PRESBITERIANA DE MARANGUAPE I, Paulista, desde às 11 horas da manhã de hoje 27-02-15, onde ela deu inicio a sua grande obra que era louvar ao Senhor. O sepultamento foi num cemitério local às 15h e 30min.


Conexão Jovem com Louvor Alfe, Ministério de Dança e Pr. Cáli

Magno Malta critica governo por se omitir sobre o Estado Islâmico

O senador Magno Malta (PR-ES) reclamou no plenário desta terça-feira (24) da falta de posicionamento do Governo brasileiro diante de duas situações internacionais: os ataques do Estado Islâmico contra cristãos e a violação dos direitos humanos na Venezuela.
O discurso foi feito em resposta ao pedido da senadora Ana Amélia (PP-RS) que pedia ao governo que se posicione a favor da democracia na Venezuela e no Mercosul.
Malta resolveu estender a conversa para outros temas omitidos pelo Itamaraty. “Onde está a Secretaria de Direitos Humanos, porque o Estado Islâmico mata e recebe solidariedade. A presidente faz discurso na ONU e diz que é preciso buscar o diálogo, com terroristas?”, questiona.
O senador evangélico critica a falta de posição do governo, que mesmo diante da divulgação de casos como dos cristãos egípcios degolados na última semana não emitiu nenhuma nota de repúdio.
O caso do embaixador da Indonésia que teve sua credencial recusada pela presidente Dilma também entrou na pauta de Magno Malta, assim como a falta de um posicionamento a respeito das violações de direitos humanos cometidas pelo governo da Venezuela.
“Todo democrata, todos aqueles que amam a vida deveriam se manifestar. Oras, se é ideologia bater palma para terrorista e se é ideologia se calar quando há ação de ditadores contra a população está respeitado, mas aqueles que não acreditam nisso precisam se manifestar. Vai aqui o meu repúdio a toda essa ação antidemocrática”, disse.

Receba no seu e-mail informações de Presentia