quarta-feira, 23 de julho de 2014

Humor

Festival Promessas leva shows de música gospel a Itaguaí

Festival Promessas, uma das maiores festas da música gospel, chega a Itaguaí neste sábado, 26! O público vai poder acompanhar mais de cinco horas de música, com apresentações de Davi Sacer, Damares, Wilian Nascimento e Fernandinho. O evento tem entrada gratuita e acontece a partir das 16h.
Willian Nascimento vai abrir a festa com suas canções que seguem um estilo pop, pentecostal e romântico, como em "Deus vai na frente". Davi Sacer entra ao palco logo em seguida para mostrar as músicas mais conhecidas dos seus cinco 
CDs
, incluindo o mais recente, Venha o Teu Reino.

O evento terá ainda a presença da Damares, que terá no repertório “Sabor de mel” e sucessos do seu novo CD O Maior Troféu. Para fechar a noite com chave de ouro, Fernandinho apresenta canções do CD e DVD Teus Sonhos.
http://gshow.globo.com/

terça-feira, 22 de julho de 2014

Leonardo Gonçalves - SUBLIME!



VITORINO SILVA



Victorino Silva teve sua trajetória de vida marcada por grandes transformações profissionais, pessoais e espirituais. Dono de uma bela voz e com um grande talento musical, é um dos maiores cantores Gospel da atualidade. 

Suas canções estão aqui na rádio www.presentiaonline.blogspot.com

SAIBA MAIS: Victorino Silva teve sua trajetória de vida marcada por grandes transformações profissionais, pessoais e espirituais. Dono de uma bela voz e com um grande talento musical, é um dos maiores cantores Gospel da atualidade.
No dia de seu nascimento, em 29 de março de 1939, um fato marcante já dava sinais de que a vida de Victorino seria diferente. Chovia muito em Mesquita e sua mãe, Adelaide, preocupada ligou para seu pai, Ernesto, que estava no trabalho, pois precisava dele naquele momento tão importante. Ao chegar à residência, Ernesto pegou o seu filho no colo e percebeu que ele nascera com uma amputação congênita no antebraço, que é ausência de um membro ou parte dele. No caso do Victorino, ele não tinha a mão direita, e essa deficiência deixou seu pai muito triste. Mas, esse era apenas o primeiro desafio na vida dele. 
“Quando criança, nós bebíamos a água do Rio Dona Eugênia, que era limpinha, limpinha. Também me lembro dos tropeiros, que passavam pela manhã andando nos seus jegues, carregados com cestas de um lado e de outro. Às vezes eles passavam tão cedo, relinchando, que acordava todo mundo.”

Enfrentando a discriminação pela deficiência física e as dificuldades financeiras que a família passava, foi ainda na infância que Victorino encontrou sua verdadeira vocação, cantar. “Meu pai se sentava à mesa e pegava uma caixa de fósforos, que ele fazia de cuíca. Ele molhava a pontinha do fósforo com a boca e passava na caixa, e dali saía um sonzinho. E eu o acompanhava batendo na mesa, e se atravessasse o ritmo ele batia na minha mão”, lembra Victorino. 

Aos quatro anos de idade, Victorino participou do concurso Calouro de Beira de Calçada. Após interpretar a canção Violão, de Altemar Dutra, aquele pequeno cantor arrematou todos os prêmios do concurso. E não parou mais, fez diversas apresentações em diversos colégios. “Eu nunca tive a pretensão de cantar, foi algo que aconteceu naturalmente”. Assistindo a uma apresentação do Victorino, uma professora de canto o convidou para estudar na Rádio Mayrink Veiga e ele aceitou na hora.

Com o passar do tempo, o jovem cantor se destacou nas aulas, e recebeu mais um convite, só que dessa vez, para se apresentar na Rádio Nacional. Lá todos os domingos o grupo formado por garotas e garotos, que estudavam com ele faziam suas apresentações. “E foi ali, na Rádio Nacional, que eu conheci grandes artistas, como Dalva de Oliveira, Emilinha Borba, Ângela Maria, e tantos outros.”

Victorino lançou-se na carreira artística, com o nome de Aroldo Santos. Cantava nas rádios, fazia shows em boates, em um ritmo cada vez mais acelerado. Entretanto, após as apresentações, o cantor se sentia muito cansado e muito solitário. “Eu ia embora sozinho, a pé, enquanto os rapazes se arranjavam com as meninas ao som da minha música. E em algumas apresentações, me sentia muito cansado e às vezes queria dar um tom mais agudo, mas não conseguia”. Então, percebendo que algo estava errado, por ser um jovem rapaz, foi que decidiu procurar um médico, quando foi diagnosticado um câncer de pulmão, agravado por uma tuberculose.

Desiludido com a notícia, Victorino abandonou os microfones para viver outra carreira, a do crime. “Foi quando eu falei: eu já estou morto mesmo. Naquela época não existia quimioterapia. Entrei na carreira de crime. Então, parei de cantar e fui tomar conta de uma boca de fumo. E essa vida só piorava meu estado de saúde”. Era o ano de 1959 e esse jovem mesquitense, com apenas 19 anos de idade, que já havia vivido, em tão pouco tempo, momentos de altos e baixos, estava prestes a passar por mais uma transformação, dessa vez espiritual.

“Um dia acordei tossindo muito. E tomei a decisão que não queria mais aquela vida para mim, e fui para a rua. Quando passava diante do portão de uma casa, comecei a ouvir uns gritos e pessoas cantando. Eu fui até lá, e quando entrei uma moça me perguntou: Quer aceitar Jesus? E eu respondi com outra pergunta, Jesus é uma boa? E ela respondeu que sim, então eu o aceitei.” Victorino havia entrado em um culto evangélico e, ali, naquele momento se converteu. Segundo ele, a cura da sua doença veio através de uma oração realizada naquele culto, naquele dia. “Na semana seguinte, quando fui ao médico, o resultado da chapa do pulmão foi negativo, já não havia mais nada.”

Curado da doença, e longe da vida dos crimes e do vício, Victorino retomou sua carreira musical, mas agora no estilo Gospel. Com o seu grande talento musical e sua potência vocal, gravou em 1963, o seu primeiro Disco Compacto Simples, intitulado Saí a Procura. E nunca mais parou. Gravou mais de 30 discos entre eles, Olhando o Céu; O Tema de Minha Canção; Deus Muda Situações; Jubila Irmão; e entre os seus trabalhos mais consagrados está o Long Play – LP Não Chores Mais. O sucesso do Pastor Victorino rompeu todas as fronteiras, levando o cantor a realizar shows em diversos países como Holanda, África do Sul, Estados Unidos e Israel, onde cantou no túmulo de Jesus. Victorino se apresentou ainda na Itália, por duas vezes no Coliseu de Roma.


Atualmente, o Pastor Victorino Silva, renomado cantor Gospel é casado, pai de quatro filhos, superou todas as adversidades da vida e o resultado dessa transformação é uma grande soma de sucesso acumulado em 50 anos de carreira, com mais de 30 discos gravados. Mas ele ainda tem muitos sonhos. Com o lançamento do seu último álbum Eternidade, lançado recentemente, ele pretende atingir a tiragem de 50 mil cópias vendidas, e receber um Disco de Ouro.

Clip do dia Ariane


Receba no seu e-mail informações de Presentia