segunda-feira, 24 de agosto de 2015

160 Anos do Congregacionalismo Brasileiro, 117 em Caruaru

PRIMEIRA IGREJA EVANGÉLICA CONGREGACIONAL DE CARUARU

 A primeira Igreja Evangélica Congregacional de Caruaru

foi fundada em 1898 é considerada patrimônio histórico de Carauru, 

é filiada a UIECB-União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil

Primeira Igreja Evangélica Congregacional de Caruaru (1898-2012): 114 ANOS

História se faz com história

O Início do Congregacionalismo Brasileiro

As igrejas evangélicas brasileiras de governo congregacional encontram suas raízes no labor evangelístico do Dr. Robert Reid Kalley e da sua esposa, a Sra. Sara Poulton Kalley, com quem veio a casar-se em dezembro de 1851. O casal passou os anos de 1853 e 1854 nos Estados Unidos, onde se refugiavam suas ovelhas madeirenses, alcançadas pelo Dr. Kalley em seu frutífero trabalho na Ilha da Madeira, com quem, igualmente, haviam sofrido hostil perseguição naquela ilha. De volta à Inglaterra, em 1854, dali saíram ao Brasil, partindo de Southampton, em 9 de abril de 1855, e chegaram ao Rio de Janeiro em 10 de maio de 1855, às cinco horas da manhã. Nos últimos dias de julho mudaram do Rio de Janeiro para Petrópolis, onde fixaram residência. No dia 19 de agosto de 1855, a Sra. Kalley, na tardinha daquele domingo, iniciou a classe dominical, inaugurando a escola dominical mais antiga da América do Sul, de que se tem notícia. Na ocasião, D. Sara e cinco alunos, filhos de famílias inglesas, leram a história de Jonas, no Antigo Testamento, e cantaram hinos ao Senhor. O casal Kalley trabalhou no Brasil até 1876, momento em que retornou definitivamente à Escócia. O Dr. Kalley veio a falecer em 1888. A Sra. Sara Kalley permaneceu empenhada nas missões evangélicas brasileiras, e, para fomentá-las, em conjunto com o Rev. Fanstone, então pastor da Igreja Evangélica Pernambucana, criou a missão Help for Brazil em 1892.

Rev. Robert Kalley, Foto original da Igreja e o Rev. Charles W. Kingston

Os primeiros missionários da Help for Brazil foram trazidos por Fanstone nos anos de 1893 e 1894. Charles W. Kingston foi um destes obreiros, homem a quem se deve o labor infatigável de haver trazido para Caruaru a pregação do Evangelho de Jesus Cristo, e, para a nossa alegria e extrema gratidão a Deus, o surgimento da Primeira Igreja Evangélica e Congregacional da cidade.

Os Primórdios da Primeira Igreja Evangélica Congregacional de Caruaru

O Rev. Kingston e a sua esposa, a Sra. Ida Batchelar Kingston, começaram suas primeiras investidas em Caruaru, nos idos de 1897. Os frutos não tardaram a ser colhidos. À Missão, chegavam notícias de que os cultos dominicais, que ocorriam na casa dos missionários, eram bem frequentados. Outros se achegavam por meio da distribuição de remédios, da qual Kingston fazia uso, e das peças de roupas confeccionadas pela D. Ida. Como haveríamos de esperar, logo após os frutos, vieram também as perseguições. O padre levantava motins e fomentava calúnias contra os missionários, havendo uma ocasião em que, segundo relato de Kingston, "o padre conseguiu aliciar alguns malvados que, em grupo, num domingo, entraram em minha casa, quase matando-me, ferindo minha esposa e outras pessoas da minha casa, retirando-se depois de queimarem Bíblia, mobília, etc. (Marcos ii:3,4)." Havia luta incessante para que, finalmente, os protestantes deixassem a cidade. Kingston e Ida fitaram a morte de perto algumas vezes. Tiveram sua casa invadida e seus livros e Bíblias queimados outras tantas. Até que se viram obrigados a deixar o campo missionário.

Enquanto isso, os novos convertidos eram maltratados pelos próprios familiares. Um jovem de dezoito anos não teve outra opção senão a de sair de casa, por amor ao evangelho. Todavia, a despeito de tudo quanto sofriam, o jovem Silvério, que permaneceu alimentando o pequeno rebanho com a Palavra de Deus, em carta a Kingston, agosto de 1898, escreveu que "não posso falar de um grande crescimento; mas, dia após dia, o Senhor nos dá alguma bênção". Ele afirmou que "outras pessoas ouvem com atenção; e ainda outras pedem explicações da Bíblia". Além do Rev. Kingston e da Sra. Ida, temos dívida com um outro missionário, o Rev. Alexander Telford. Junto com Kingston, Telford mantinha correspondência com Caruaru. Escreveu Telford, em 11 de outubro de 1901: "Fui para animar os crentes e para fazer o possível para que as autoridades os protegessem (...) Não pensem que estas viagens até Caruaru têm dado nenhum fruto (...) Visitei diversas famílias (...) e tenho certeza que Deus está abençoando".

Ary Queiroz Vieira Júnior

Atual pastor da igreja

Fachada atual da igreja
UM POUCO MAIS...

O casal, Charles W. Kingston e Ida Batchelar Kingston, começou o trabalho de evangelização na cidade. Depois de muitas perseguições, o casal foi para o Recife, retornando depois a Caruaru, onde passou mais algum tempo. Em “1899 o casal Kingston retornou a Inglaterra em gozo de férias e permaneceu um ano ali” (CLAYTON, pág. 25, 1998). No mês de Setembro de 1901, os cultos foram reiniciados.



Em 1901 chegou a Caruaru, enviado pela missão Help For Brasil, o missionário Alexandre Teolford, e muitos homens de Deus que deram as suas parcelas de contribuição. Entre eles, o Pr. Pedro Campelo, batizado por Kingston, que era evangelista na época.



O Pr. Pedro Campelo deu “assistência à igreja em Caruaru antes de assumir o pastorado da I.E.P. em 1909” (CLAYTON,1998, pág. 25). Tantos outros que por aqui passaram até que em 1912, o último enviado pela missão Help for Brasil, foi James Howie Haldade.



Um outro nome muito importante foi o de João Clímaco Ximenes, que organizou a Escola Dominical. Haldane foi quem organizou a igreja oficialmente, entre 1920 e 1922. O Pr.Thomas Ducan e o Presbítero Manoel de Souza Andrade, pastorearam a igreja de 1924 a 1932, foram de grande importância para o contexto histórico da igreja.



EDGARD LEITÃO
Outro que jamais será esquecido é o Rev. Willan Bannister Forsyth, que, em assembléia realizada no dia 14 de Fevereiro de 1930, foi aceito como pastor, realizando um excelente trabalho até Maio de 1932, quando foi residir na cidade do Recife.



De 1932 a 1934 foram dois anos de muita indecisão quanto a quem deveria assumir o pastorado da igreja. Em 12 de Agosto de 1934, Júlio Leitão de Melo foi eleito pastor, permanecendo até Janeiro de 1954, quando o seu filho mais moço Edgard Leitão de Albuquerque assumiu o seu lugar.

Os Congregacionais no Brasil (1855 - 2015): 160 Anos de História e Bênçãos.

I – Definição:

“O regime de governo eclesiástico conhecido como Congregacional é um sistema onde cada congregação local é autônoma e independente”

II- Antecedentes Históricos:

A Fundamentação Bíblica da Forma de Governo:

a) A Escolha dos diáconos ficou sob a responsabilidade da igreja e não dos apóstolos: “Mas, irmãos, escolhei, dentre vós (At 6.3);

b) A decisão conciliar de Jerusalém obtém apoio da igreja: “Então, pareceu bem aos apóstolos e aos presbíteros, com toda a igreja” (At 15.22);
c) A Disciplina Eclesiástica ensinada por Jesus Cristo considera o parecer da igreja: “E se ele não os atender, dize-o à igreja, e se recusar também ouvir à igreja, considera-o como gentio e publicano” (Mt 18.17);

d) A Disciplina Eclesiástica ensinada por Paulo considera o parecer da igreja: “Em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus de Jesus nosso Senhor, entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor” (1 Co 5.4 e 5);

III - O Congregacionalismo na Inglaterra:
a) O Movimento Puritano- Movimento de Reforma que tentou purificar a Igreja Anglicana (1534) dos “trapos do papismo”. Grupos de pastores defendiam a autonomia das congregações (congregacionais ou independentes).
b) Em 1561 uma Declaração de Fé exortando à igreja de Jesus Cristo a uma forma congregacional de comunidade de fé;
c) Em 1567 e 1568 comunidades com tais manifestações surgiram;
d) Richard Fityz é considerado como o mais antigo pastor de uma igreja congregacional (1570);
e) Robert Browne é considerado o primeiro teórico do congregacionalismo. Fugiu para Holanda por causa da perseguição religiosa e ao lado de Robert Harrison, fundou comunidades independentes. Tais igrejas ficaram conhecidas como brownistas. Morreu em 1633 ligada a Igreja Anglicana.
f) Em 1606 John Smith abandona o pedobatismo e batizando a si próprio e alguns amigos começa, na Holanda, a linhagem histórica dos batistas.
g) Em 1616 é fundada em Londres uma Capela Congregacional tendo com seu pastor Henri Jacob. Esta foi a primeira igreja congregacional da Inglaterra que mantém suas portas abertas.
h) Em 1620 – Um Grupo imigrou para O Novo Continente (EUA), fundando a primeira comunidade congregacional na América.
i) Apesar do congregacionalismo institucionalizado ter sua origem na Inglaterra e exercer importante influência nos Estados Unidos da América, não há relação Denominacional com o congregacionalismo brasileiro, pois este se deve muito mais a um modelo de governo implantado nas Igrejas Kalleyanas do que a qualquer outra relação. O próprio do Dr. Kalley não empregará o termo “congregacional”. As igrejas fundadas por ele receberiam apenas o nome de “Evangélicas” (exemplos da Igreja Evangélica Fluminense e da Igreja Evangélica Pernambucana).

IV – Dr. Robert Kalley e o Congregacionalismo Brasileiro:

a) Robert Reid Kalley nasceu em Monte Floridan (Escócia) em 08 de setembro de 1809 (filhos de Robert Kalley e Jane Raid Kalley);
b) De família presbiteriana, foi batizado com apenas 38 dias de nascido;
c) Perdeu seu pai com 10 meses de vida e sua mãe com 6 anos;
d) Na adolescência e juventude torna-se ateu;
e) Aluno brilhante, com 16 anos de idade ingressou na Universidade de Medicina e Cirurgia de Glasgow;
f) Aos 18 anos já tornara-se farmacêutico;
g) Em 1829, aos 20 anos de idade, diplomou-se em Farmácia e Cirurgia na Faculdade de Medicina e Cirurgia de Glasgow (Escócia);
h) Em 1835 – A experiência com uma anciã enferma, porém piedosa abala seu ateísmo;
i) Em 1836- Deseja ser missionário, mas foi rejeitado pela Junta de Missões;
j) Em 1838 casou-se com Margareth Crawford;
k) Em 1838 torna-se doutor em Medicina (aos 29 anos de idade);
l) Em 27 de setembro de 1838 partiu com a esposa para a Ilha da Madeira (tratamento de saúde);
m) Foi ordenado ministro do Evangelho em 1839; fundou escolas bíblicas e nas consultas orava pelos atendimentos e colocava textos bíblicos nas receitas médicas;
n) Promoveu uma obra filantrópica, educacional, médico, hospitalar e farmacêutica;
o) Perseguição em 1841 – Iniciada por empregadores e médicos, despertando a atenção da Igreja Católica;
p) Prisão em 1843-1844 e Expulsão em 1846;
q) Em 1850 morre sua esposa em Beirute (Líbano);
r) Em 1852 conhece Sarah Poulton em Beirute e se casam;
s) Em 1853 muda-se para os EUA e pastoreia uma igreja presbiteriana de língua portuguesa;
t) Durante os anos de 1853-1854 tem acesso ao livro de Daniel Kidder e toma conhecimento, então do Brasil (pág 102.).
u) Chegam ao Brasil (Rio de Janeiro) em 10 de Maio de 1855;
v) Mudam para Petrópolis em 07 de junho de 1855.
x) Ministram a primeira aula em 19 de agosto de 1855. Marco do início da Escola Dominical no Brasil;
z) Batizam o primeiro brasileiro, Pedro Nolasco de Andrade, em 11 de julho de 1858. Fundação da Igreja Evangélica Fluminense (considerada a primeira igreja evangélica brasileira e núcleo das Igrejas Evangélicas Congregacionais em nosso país). Inicio do congregacionalismo pátrio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...