terça-feira, 21 de março de 2017

“Jair Bolsonaro manipula a Bíblia ao seu favor”, diz Mauro Nadvorny

Imagem relacionada
Autor do abaixo-assinado que reuniu mais de 4 mil assinaturas contra a presença do deputado Federal Jair Bolsonaro no Clube Hebraica de São Paulo, nesta entrevista Mauro Nadvorny traz alguns esclarecimentos sobre a iniciativa, as repercussões da anulação da palestra no clube e outros temas relacionados ao crescimento de políticas contrárias as minorias. Nadvorny considera-se um sionista-socialista e tem participação ativa em meios de comunicação de massa. Ele falou com o fórum Cristãos Progressistas de Porto Alegre, onde reside e trabalha.


Cristãos Progressistas. Mauro, obrigado por separar um tempinho para conversar conosco.
Mauro Nadvorny. É um prazer conversar convosco, estabelecer um diálogo produtivo.
Cristãos Progressistas. Apesar de estarmos em lados opostos no espectro religioso, temos acompanhado de perto os desdobramentos da recusa do Clube Hebraica São Paulo de ouvir o deputado federal Jair Bolsonaro. Não é exatamente uma novidade, dado ao fato de que o referido deputado nunca foi convidado para ministrar palestras em universidades. A negativa da Hebraica deveu-se a uma petição na internet que reuniu mais de 4 mil assinaturas contrárias à presença do deputado no Clube. O que levou o senhor a elaborar a petição e qual é a sua relação com o Judaísmo e, por extensão, com o Clube Hebraica?
Mauro Nadvorny. Antes de tudo não me vejo em lado oposto no aspecto religioso pelo fato de ser judeu, e vocês cristãos. Particularmente não sou religioso, mas acredito que todas as religiões são baseadas no amor ao próximo e isto é motivo de união. A petição foi elaborada com a finalidade de impedir que um narcisista que usa a democracia quando lhe convém fosse a um clube judaico para expor seu suposto amor aos judeus e a Israel, quando na realidade sua prática retórica é a de um racista e misógino, que expressa seu desprezo por todos que são diferentes. Tenho uma ligação muito forte com o Brasil e com Israel. Como resido em Porto Alegre não tenho nenhuma ligação em especial com o Clube Hebraica.
Cristãos Progressistas. Em sua página, no Facebook, o senhor compartilhou algumas mensagens contrárias a sua iniciativa, e outras em que lhes felicitam pela atitude. Não é novidade para ninguém que parte dos seguidores de Jair Bolsonaro têm tido uma atitude desrespeitosa com relação a líderes e partidos que discordam das ideias do deputado. Há alguns dias sites e páginas nas redes sociais foram invadidos por hackers e seus autores têm sido alvos de ameaças. Com relação ao senhor não tem sido diferente, não é mesmo?
Mauro Nadvorny. Isto é parte da estratégia deles. O fascismo não admite opiniões, muito menos contrárias aos seus interesses. Eu recebi várias mensagens de ódio e as deletei. O Blog da Socialista Morena foi invadido por eles.
Cristãos Progressistas. Há uma percepção de que resquícius da Guerra Fria ainda são percepctíveis mesmo após o fim da URSS e a consolidação da hegemonia global dos EUA. A ascensão de líderes de extrema-direita na Europa, representados por partidos como o Partido de Independência do Reino Unido (UKIP), o Pegida, e a Frente Nacional, de Marine Le Pen, e nos EUA com o Donald Trump, está recolocando o mundo em uma situação de conflito ideológico. No Brasil, o deputado Jair Bolsonaro igualmente busca um espaço ao sol. Estamos diante de uma ameaça real, de uma espécie de trumpismo à brasileira?
Mauro Nadvorny. Eu acho que o mundo precisa passar por esta onda de direita para lembrar que era feliz e não sabia. Os regimes neoliberais sempre aumentaram a distância entre ricos e pobres e não será diferente. O Bolsonaro é pior porque não representa apenas uma mudança de visão econômica, mas também defende o fim das minorias. Ele personifica o que de pior existe em alguns seres humanos.
Cristãos Progressistas. Apesar de suas declarações estapafúrdias, discriminatórias, e de uma defesa intransigente do regime militar brasileiro, Jair Bolsonaro tem recebido um crescente apoio de religiosos. Uma pesquisa realizada entre os dias 7 e 8 de dezembro de 2016 pelo Datafolha demonstrou que o referido deputado tem o apoio de quase 10% dos entrevistados. A pesquisa causou um verdadeiro alvoroço entre os apoiadores mais próximos ao presidenciável, alguns dos quais passaram a travar uma verdadeira guerra nas redes sociais. Por que indivíduos como Jair Bolsonaro encontram apoio de líderes religiosos que dizem professar uma religião que tem como fundamento o “amor ao próximo”?
Mauro Nadvorny. Bolsonaro encanta principalmente evangélicos, liderados por pastores televisivos, quando anuncia que quer um Brasil cristão. É o canto da sereia que encontra eco nos menos esclarecidos que vêem nele um salvador. Ele manipula a Bíblia a seu favor.
Cristãos Progressistas. Até poucos dias das eleições nos EUA ninguém acreditava na capacidade de superação de Donald Trump. A mídia e os institutos de pesquisa não conseguiram prever a onda vermelha que tomaria parte do país. Trump foi eleito presidente dos EUA, apesar de suas propostas discriminatórias em relação a imigrantes, negros, deficientes físicos e mulheres. Era até então tido como uma figura irônica, desprezível do ponto de vista político. Será que não estamos tendo a mesma atitude com relação ao deputado Jair Bolsonaro? Não corremos o mesmo risco diante da ascensão desta figura?
Mauro Nadvorny. Sim, corremos o risco, mas diferentemente dos EUA, aqui cada cidadão é um voto. Trump soube jogar o jogo da eleição americana que elege delegados por estado e não obriga ninguém a votar. O perigo existe mais em função do anti-Lula que ele representa.
Cristãos Progressistas. No próximo dia 8 de março comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Movimentos como as Evangélicas pela Igualdade de Gênero estão conclamando simpatizantes a participarem de uma paralisação nacional pela manutenção dos direitos adquiridos nos últimos 30 anos e pelo avanço na pauta da igualdade de gêneros. Por outro, temos líderes como o estadunidense Donald Trump e o brasileiro Jair Bolsonaro que recorrentemente manifestam-se de forma contrária ao gênero feminino. De que forma temos que contribuir para que a pauta feminina avance? Não esta na hora de movimentos progressistas unirem-se em torno de causas comuns? Não é o caminho a trilharmos?
Mauro Nadvorny. Sim, e é isto mesmo que estamos preparando, ou seja, um novo abaixo-assinado conclamando todas as minorias a se unirem em torno das causas em comum, e não somente com relação ao Jair Bolsonaro. Eu ficaria imensamente feliz em contar com todos estes grupos nesta próxima ação e agradecer pelo apoio que tivemos em nossa ação contra ele. A minha intenção é a de criar uma frente ampla de minorias. Esta seria a meu ver a melhor contribuição que vocês poderiam dar: fazer parte ativa desta frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...