quinta-feira, 15 de setembro de 2016

O COMPORTAMENTO ELEITORAL PARA MEMBROS DE IGREJA

1 - NÃO ACEITE NENHUM pastor determinar seu voto. 
Ainda que ele diga que determinado candidato seja da vontade de Deus, ou irá beneficiar a igreja, o que não compete a nenhum político fazer. Ele não é eleito para isso.

Normalmente quando isso ocorre, o benefício é para o próprio pastor e sua família.
Todo político tem obrigações públicas, não particulares. Sua função e obrigação são para e com o povo todo.

2- DESCONFIE DA OPINIÃO do pastor quando ataca algum candidato.
Principalmente se os ataques forem de  discursos moralistas sobre família ou ateísmo, do tipo: irá fechar igrejas, não crê em Deus, vai destruir as famílias, é comunista, etc... 
Todo político deve ser eleito para defender a constituição e em prol do bem comum e não para defender determinada religião ou teologia.

3 - NÃO TENHA MEDO de contrariar seu pastor politicamente. 
Deus não irá castigar e isto não é desobediência porque ele não manda em você. 
Todos somos livres e responsáveis.
Aja segundo a sua consciência porque ninguém presta contas por outro, mas somente por si mesmo.

4 - TODO PASTOR QUE DIZ que um candidato do legislativo irá construir alguma coisa e tal coisa  beneficiará a igreja/ovelhas, está mentindo e aceitando a corrupção. 
Se o candidato for eleito e fizer, provavelmente desviou verba ou sua função e ambos os desvios são corrupções. 
Exceto se o candidato fizer do próprio bolso e se for assim, não precisa ser eleito. 
Não aceite isso, jamais.

5 - Por princípio, NÃO SE DEVERIA RECONHECER A AUTORIDADE pastoral sobre apoio a candidato específico: 
pastor cabo eleitoral não existe. 
Existe um cidadão, que escolheu determinado candidato e ocupa a função de pastor. 
Não compete à função do pastor decidir voto dos fiéis: é corrupção; desvio de função. 
A responsabilidade pastoral é de ensinar sobre uma vida como a de Cristo e não de determinar o voto de ninguém, nem mesmo o de sua própria família.

6 - TAPE OS OUVIDOS para qualquer pastor que usar a palavra "esquerdopata" ou "esquerdistas.
Palavras normalmente usadas por gente que não entende de política, muito menos de políticas públicas e invariavelmente defendem ideias que não contemplam os menos favorecidos. 
Essas palavras foram adotadas por diversas pessoas como jargão para colocar medo e criar preconceito no cidadão. 
Normalmente são ditas aos gritos, porque falta força como argumento.

7 - Por fim, não confunda posicionamento político com Estado Totalitário.

(Se resolver comentar esse post e  for para atacar-me, faça melhor. Seja melhor do que a estupidez que você acha que escrevi: publique na sua página, a sua própria lista com melhores ideias e que ajudem mais ao povo)

Eliel Batista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...