segunda-feira, 7 de abril de 2014

Conheça um pouco da História do Chama Viva

Mattos Nascimento no 2º Chama Viva
Depois da pausa no ano passado, este ano está de volta o CHAMA VIVA, evento realizado por evangélicos no Pátio de Eventos durante o período junino.

Fique sabendo um pouco mais sobre a história deste evento que se tornou um marco na história música evangélica nordestina, repercutindo até nacionalmente.

VOLTANDO NO TEMPO...

A Prefeitura já havia experimentado abrir um espaço durante o período junino de 2009, no Pátio de Eventos, para o estilo musical Gospel, porém representado apenas por integrantes da igreja Católica. 
Brasas no Altar participou dos dois primeiros

Em 2010, com o convite feito pelo Prefeito José Queiroz de Lima para Jaelcio Tenório compor seu quadro de assessores, Jaelcio iniciou diálogo com José Pereira (presidente da FUNCULTURA) e o prefeito para viabilizar uma noite apenas para artistas evangélicos. 



A idéia foi prontamente aceita e começou um período de planejamento e contatos para concretização da mesma. 
Banda Som e Louvor no 2º CHAMA VIVA
Daniel Dial no 1º Chama Viva
A partir de 2011, o evento começou a ser também apoiado por diversas lideranças evangélicas (inclusive formalmente pela Associação dos Ministros Evangélicos do Agreste) e por empresários que compreenderam a importância do evento na expansão do Evangelho num período em que nossa cidade recebe um público de mais de um milhão de pessoas.

As atrações do primeiro Chama Viva foram: Brasas no Altar, Erasmo Miguel e Daniel Dial (ex-Calcinha Preta), e constavam na grade oficial de divulgação da festa. 
Erasmo Miguel também esteve
nos dois primeiros
O Jornal Extra de Pernambuco recebeu uma homenagem representando o apoio recebido pela imprensa e também pelo papel relevante na cobertura dos acontecimentos da região.

Em 2012, aconteceu o 2º CHAMA VIVA com as participações de banda Som e Louvor (CE), Erasmo Miguel, Mattos Nascimento e a banda Brasas no Altar. 
O Homenageado foi a TV Jornal, nos mesmos termos do Jornal Extra. 

O pastor Erivaldo, presidente da AMEAP (Associação dos Ministros do Agreste de Pernambuco) trouxe uma reflexão bíblica.

O público estimado subiu para 40 mil pessoas, mostrando a maturidade e boa aceitação, também teve uma repercussão maior na mídia, repercutindo até nacionalmente.


Em 2013 um fato novo surgido fez com que oficialmente o evento fosse suspenso pelos organizadores, pois a verba vinda da prefeitura havia sido cortada, Tenório chegou a divulgar alguns nomes, porém, diante da não garantia de investimento para viabilizar atrações de porte ficou decidido pelo cancelamento do mesmo. Outras lideranças evangélicas utilizaram o palco com atrações locais e realizaram uma noite gospel, porém, de repercussão menor, tanto de público como de impacto midiático, chegado a pouco mais de duas mil pessoas.

3º CHAMA VIVA - 2014
Felipão participa este ano
Este ano, segundo o vereador Jaelcio Tenório, o evento volta com a carga toda, pois além da prefeitura já ter sinalizado o apoio ao evento a principal atração já está sendo contactada que é o cantor Felipãonome artístico de Felipe Aragão Gurgel, Paraibano. "Já conversei com a Fundação de Cultura e Turismo e também já tratei duas vezes do assunto com Wolney Queiroz e creio que este ano será o melhor que já realizamos", nos falou Tenório. 
Provavelmente em maio é que teremos melhor a confirmação e se tem mais alguma outra atração, o que se sabe é que a cantora Marcia Barros (Rio de Janeiro) estará em pernambuco neste mesmo período e que também poderá participar.

FELIPÃO
Nasceu no estado da Paraíba, e um tempo depois se mudou para Fortaleza, capital do estado de Ceará, onde morou por vários anos. Por ter interesse pela música, aos dezesseis anos iniciou suas atividades de músico. Trabalhou com bandas que alcançaram pouca notoriedade, até fundar o Forró Moral, que alcançou relevância em sua região. 

Jaelcio Tenório, agora vereador
Com os sucessivos shows e compromissos da banda, Felipão não tinha paz, segundo ele. Com o tempo, se tornou alcoólatra. Anos depois, deixou a banda a qual fazia parte, se converteu e se tornou evangélico. Em 2010, lançou seu primeiro disco solo - Novo Tempo, tendo características do canto congregacional, um estilo distinto do que usava em sua banda, o forró.
Felipão conta que, durante esse tempo sentiu repulsa ao gênero. Entretanto, o cantor retornou às origens, e com seu contrato com a gravadora cristã Graça Music em 2011, o cantor lança É desse jeito, trazendo o forró como gênero principal, tendo a regravação do hit "Deus da Minha Vida", com a participação de Thalles Roberto.

Após três meses do lançamento, o trabalho já havia vendido mais de quarenta mil cópias, recebendo disco de ouro.

Acompanhe aqui na Presentia todas as informações sobre este evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...