domingo, 23 de março de 2014

Temas bíblicos garantem sucesso no cinema


te ano não vão faltar histórias bíblicas nas salas de cinema. Pensando nos lucros, Hollywood já tem confirmadas as estreias mundiais de “Noé” e “O filho de Deus”.

O filme norte-americano “O filho de Deus”, revelou-se um sucesso de bilheteira nos Estados Unidos, com resultados já superiores a 50 mil milhões de dólares. 

Filmado em Marrocos e dirigido por Christopher Spencer, “O filho de Deus” baseia-se no Evangelho segundo S. João, contando a história de Jesus através de alguns dos momentos chave da sua vida. O português Diogo Morgado interpreta o papel de Jesus.

Esta longa-metragem foi adaptada da mini-série de dez horas sobre a Bíblia, produzida para o canal History por Roma Downey e Mark Burnett.

Segundo Burnett, o filme procura conciliar as várias sensibilidades religiosas: “Precisámos de muito trabalho, de ouvir muita gente e perceber diferentes pontos de vista, para não roubar a força desta história – a dinâmica e dramatismo – evitando ao mesmo tempo ferir sensibilidades de grupos diferentes. O catolicismo, o protestantismo e o judaísmo têm diferentes interpretações. Ou seja – conseguimos que funcionasse, sem lhe retirar força dramática.”

Dez anos depois da versão violenta e controversa realizada por Mel Gibson, com “A Paixão de Cristo”, Jesus regressa às salas de cinema numa abordagem mais descontraída, mais inclusiva, apesar de alguns críticos acharem que o filme de Spencer se desvia da versão bíblica.

Diogo Morgado defende que os temas bíblicos chegam assim melhor ao público jovem: “Para as gerações mais novas, é bom ter a oportunidade de conhecer Jesus fora dos livros – se perguntarmos a uma criança se prefere ver a Bíblia ou lê-la, vai responder que prefere ver um filme sobre a Bíblia.”

Aqui não é bem de fé que se trata: Hollywood está consciente dos lucros que pode ir buscar com filmes inspirados nas histórias bíblicas.

Outro filme “bíblico” que vai estrear este ano é a película “Noé”, de Darren Aronofsky, com Russell Crowe, Emma Watson, e Anthony Hopkins no elenco. 

O filme tem sido alvo de controvérsia – três países árabes proibiram a sua exibição, com argumentos de ordem religiosa, ainda antes da estreia mundial. Nos Estados Unidos, a organização protestante Faith Driven Consumers exigiu que a produtora Paramount inclua no genérico a informação de que o filme usou de licença artística.

O realizador, porém, defende o filme: “As mais velhas histórias do mundo são clássicos e dizem respeito a todos nós. Há algo sobre a água e sobre o dilúvio que todos nós entendemos, está fundo nas nossas almas – qualquer que seja a origem ou religião de cada um – Noé pertence a todos os homens.”

“Noé” fez a sua estreia europeia em Berlim no dia 13 de março. A atriz Emma Watson, está confiante que as controvérsias de ordem religiosa não vão afastar o público: “Por um lado este é um filme de ação, mas é também um drama familiar íntimo. É ao mesmo tempo um ‘filme de estrada’ – encontramos vários aspetos, está muito bem elaborado e é muito original.”

Hollywood lembrou-se que há muito dinheiro a fazer com filmes “bíblicos”. Em dezembro é esperada a estreia de “Êxodo”, de Ridley Scott, com Christian Bale no elenco.

Fonte: Euronews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...