quinta-feira, 27 de março de 2014

Pastor de igreja evangélica frequentada por roqueiros conta como lutam contra preconceito

Open in new window
Frequentada por metaleiros, uma igreja evangélica em São Paulo tem lutado contra o preconceito por não seguir os estereótipos que muitas pessoas esperam dos evangélicos, e também por não adotarem os comportamentos vistos como típicos da tribo urbana dos metaleiros.

O pastor Antônio Carlos Batista, de 46 anos, fundador da Crash Church (“Igreja de Impacto”, na tradução dos fundadores) conta que ele e os frequentadores da igreja sofrem preconceito “dos dois lados”. Como relatou em entrevista à Folha de S.Paulo, para os evangélicos eles cultuam Satanás; e por parte dos metaleiros são criticados pelo seu jeito bem comportado.

- Acolhemos quem não quer nem vestir terno nem cortar os cabelos para louvar o Senhor, nem ser violento ou negar Jesus Cristo só por causa do som que gosta de ouvir – afirma Batista, ao falar sobre como encara os estereótipos.

Segundo reportagem da Folha, a igreja fica em um prédio comercial, com as paredes pintadas de preto, localizado no Alto Ipiranga; e é frequentada por jovens cabeludos, tatuados, vestindo anéis, piercings, roupas rasgadas e longos coturnos. Nos cultos, a música é marcada por solos pesados de guitarra e por vocais típicos do rock pesado.

De acordo com o pastor Antônio Carlos Batista, que também é vocalista da banda AntiDemon, há uma conexão que ele percebe entre o heavy metal e a mensagem divina.

- Está escrito numa passagem que a voz de Deus é como um trovão. Outra indica que o barulho no céu é ensurdecedor. No rock é igual – explica o pastor.

Porém, ele ressalta que essa não é a visão da sociedade em geral, e por não se enquadrar nos padrões que a maioria das pessoas espera de um pastor evangélico, já foi até mesmo barrado quando, como pastor, fazia visitas a hospitais.

- Já fui barrado em hospital quando fui visitar um fiel que estava doente. Não usava uma gravata, então não acharam que eu era pastor. Puro preconceito. – relata batista.

Mas o pastor explica que, apesar do visual e da música diferentes, seguem rigidamente os preceitos cristãos, e mantém suas doutrinas e ensinamentos de acordo com a Bíblia, se pautando na mensagem do amor.

- Ninguém aqui transa antes do casamento. E nós não acreditamos em um terceiro sexo. Gays são bem-vindos porque precisam de amor e ajuda – explica o pastor;

Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba no seu e-mail informações de Presentia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...